quarta-feira, 20 de junho de 2012

A DIVINDADE DE JESUS

A DIVINDADE DE JESUS

Subsídio para Lição 1, da revista betel “Jesus Cristo, o Mestre da Evangelização” comentada neste trimestre pelo Pr. Dilmo dos Santos.

“No principio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” (João 1.1 ARC).

O maior milagre narrado nas Sagradas Escrituras para mim, infelizmente é um dos que hoje tem sido esquecido em muitos sermões dos pregadores da atualidade. Não são os relatos como da passagem do mar vermelho e da formação do povo de Israel, curas milagrosas e ressurreições de mortos. Nem mesmo o Milagre da profecia bíblica. O maior milagre para mim é o nascimento de Jesus Cristo, o Senhor. As Escrituras afirmam claramente que Jesus Cristo é Deus encarnado. A Palavra encarnação não se encontra na Bíblia, porém esse termo é utilizado para referir-se ao fato de que Jesus era Deus em carne humana. Ou seja: O Deus cuja grandeza é imensurável, que os céus dos céus não podem conter (1 Rs 8.27,Is 66.1,2), se fez pequeno, e assumiu a forma humana (Fp 2.5-11), de modo milagroso. Falando a respeito disso em seu comentário sobre o prólogo do evangelho de João (1.1-18), D. A. Carson comenta:

“Mas, de forma suprema, o Prólogo resume como a ‘Palavra’, que estava junto com Deus no princípio, entrou na esfera do tempo, da história, da tangibilidade – em outras palavras, como o Filho de Deus foi enviado ao mundo para tornar-se o Jesus da história, de forma que a glória e graça de Deus pudessem ser manifestadas de modo singular e perfeito. O restante do livro não é nada mais que uma ampliação desse tema.”[1]

Esta afirmação de que Jesus Cristo é Deus é importante não apenas na questão da redenção, mas também na própria e maior revelação de Deus para nós, pois como o próprio evangelho de João diz no seu primeiro capítulo, versículo 18: “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito que está no seio do Pai, este o fez conhecer”. Em Jesus Cristo, temos a maior revelação da pessoa de Deus para a humanidade. O próprio Jesus afirma: “Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim, vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?

Vejamos então o testemunho da Palavra de Deus a respeito da divindade de Jesus:

No novo testamento as afirmações sobre a divindade de Cristo é bem ampla. Existem alegações bíblicas diretas de que Jesus é Deus:

A.      A palavra Deus (theos) é atribuída a Cristo. Essa palavra no Novo Testamento não é só atribuída a Deus Pai, mas também para Jesus, mostrando ele como criador e sustentador de todas as coisas: João 1.1, João 1.18, João 20.28; Romanos 9.5; Tito 2.13; Hebreus 1.8 citando Salmo 45.6 e 2 Pedro 1.1.

B.      A Palavra Senhor (Kyrios) atribuída a Cristo. Apesar desta palavra ser usada também em sentido respeitoso, ou para designar patrão, em relação a Jesus ela é usada para designar Jesus como criador e mantenedor de todas as coisas, pois esta palavra foi usada para traduzir “Javé” (yhwh) para “Senhor” ou “Jeová”, 6.814 vezes no Antigo Testamento grego, a Septuaginta, usada comumente nos dias de Jesus. (Mateus 3.13 citando Isaías 40.3; Mateus 22.44 citando Salmo 110.1; Lucas 1.43; 2.11; Apocalipse 19.16; e outras).

C.      Culto divino prestado a Cristo. (João 5.23; 13.13; 20.28; Mateus 14.33; Lucas 5.8) e orações são dirigidas para ele (1 Co 1.2; 2 Co 12.8,9, Atos 7.59).

O Uso da Palavra “Logos” em João 1.1:

                Existem algumas linhas de pensamento que atribuem o uso da palavra “logos” por João como influência da filosofia grega. Entretanto, entendo que não devemos acreditar que seja esse o objetivo de João nesta afirmação pela própria evidência do evangelho, onde vemos que João sempre se refere ao Antigo testamento como referência de suas afirmações. Lá no Antigo testamento, o “Logos” que quer dizer “Verbo” ou “Palavra” está ligada com a poderosa atividade de Deus na criação (Gn 1.3ss; Salmo 33.6), revelação (Jeremias 1.4; Isaías 9.8; Ezequiel 33.7; Amós 3.1,8), libertação (Salmo 107.20; Isaías 55.11).

Se Jesus não é Deus, não pode haver salvação e nem cristianismo, pois as Escrituras claramente mostram que nenhum ser criado, finito, poderia salvar o homem, carregar os pesos dos pecados da humanidade, revelar Deus de forma plena e ser mediador entre Deus Pai e a humanidade. Cristo é Deus. Portanto, podemos confiar no testemunho da escritura que diz: “Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo” (Romanos 10.13; Atos 4.12).

Deus abençoe e bons estudos!

Ev. Alan G. Sá
_______________________________________________________________________
Bibliografia:
Biblia de Estudo Pentecostal.
Teologia Sistemática, Wayne Grudem.
O Comentário de João, D. A. Carsom



[1] CARSON, D. A: O comentário de João. Shedd publicações, 2007; p.111.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...