segunda-feira, 5 de maio de 2014

EFEITOS DANOSOS DO COMPLEXO DE SUPERIORIDADE

EFEITOS DANOSOS DO COMPLEXO DE SUPERIORIDADE

Comentário para lição da EBD, Editora Betel, Enfermidades da Alma. 

Introdução

O complexo de superioridade não é tido como uma patologia por alguns especialistas pois ele é na verdade mais uma "máscara" do que necessariamente uma patologia, ou seja, uma enfermidade. Ela é uma "máscara" pois tenta na verdade, ocultar sentimentos de inferioridade em pessoas que não conseguem lidar com o seu complexo de inferioridade.

1. O COMPLEXO DE SUPERIORIDADE NA IGREJA.

Pela Palavra de Deus, observamos que a soberba do ser humano e sentimentos altivos, autopromoção, e desejo de ser superior aos demais, ao ponto de desejarem ser adorados como um deus, estão presentes em toda parte. Satanás é o maior representante desse sentimento quando desejou tomar para si a glória devida somente a Deus, querendo ocupar o seu lugar. Podemos citar como exemplos ainda Adão, Caim, Acabe, Nabucodonosor e profeticamente, personalizado na pessoa do anticristo (2 Ts 2.3-4).
Entretanto, vemos esse sentimento presente entre os membros da igreja do Senhor desde o início. Podemos perceber isso pelas exortações presentes nas epístolas. (Tg 4.6; 1 Pe 5.5-7; Rm 12.10; Ef 5.21; Gl 6.23). O Senhor Jesus se opôs fortemente contra esse tipo de sentimento e comportamento em seus  ensinamentos sobre o novo modo de vida entre seus discípulos. (Mt 18.1-5;Mc 9.30-37;  Lc 9.46-48; Jo 13.12-17, 34).

1.1.  O que é o complexo de superoridade ?

O que é um complexo ?

O Complexo é um conceito que surgiu na Psicologia Analítica, e constitui um conjunto de pensamentos, idéias e crenças carregadas de emoções.  A esse conjunto é dado o nome de "complexo".  Quando essas emoções são ativadas por causas internas ou externas, como um trauma, um choque emocional ou conflito moral, estes podem dominar o ego, dominando assim a forma da pessoa ser e estar.

O complexo de superioridade tem como base um mecanismo inconsciente de compensação, por reflexos de sentimentos internos de inferioridade, frequentemente despertados por críticas, rejeição, negligência. A expressão de Compexo de Superioridade foi originalmente criada por Afred Adler, psicólogo que foi o primeiro seguidor de Freud, que depois se desligou dele por discordar do pioneiro da psicanálise em algumas de suas teorias.

1.2 A falta de autoconhecimento induz ao erro.

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? Eu, o SENHOR, esquadrinho o coração, eu provo os penamentos; e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto de suas ações. Jr 17.9,10.

A primeira atitude de Nabucodonosor para parecer poderoso foi sitiar e tomar escravos em Jerusalém (Dn 1.1-3). No entanto, ele demonstrava não conhecer a si mesmo, por não conseguir nem mesmo lembrar do seu sonho (Dn 2.5). Nosso coração é enganoso! Jesus disse que dele procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. (Mateus 15.19). Sabendo disso, é muito importante tomar cuidado quando tomamos determinadas atitudes baseados apenas no sentimento de eu senti no coração, sem levar em conta a razão e pesar as conseqüências de nossos comportamentos e ações.

Se a pessoa com complexo de superioridade se preocupasse menos em se impor perante as demais para dominar o seu ego, compensando assim seu complexo de inferioridade, e procurasse conhecer melhor a si mesmo, ela teria consciência de si mesma, de seus aspectos positivos e negativos. Ninguém é superior a ninguém, sendo completo em tudo. Todos têm qualidades e defeitos, deficiências em certas áreas de suas vidas. Conhecendo a nós mesmos temos uma melhor condição de levar as áreas de nossas vidas que temos consciência que temos de mudar para serem trabalhadas por Deus. Era isso que Nabucodonosor  deveria ter feito diante da demonstração do poder de Deus através da revelação dada ao profeta  (Dn 2.28). No entanto, mais uma vez ele quis se impor como superior (Dn 3.17-19 se encheu de furor e se mudou o aspecto de seu semblante contra Sadraque, Mesaque e Abede-Nego).
                Ter um verdadeiro encontro com Cristo, e seguí-lo sendo seu discípulo transforma os nossos corações. ( Jo 3.3, 5; Mt 11.28-29). Apenas Cristo Jesus tem o poder de nos dar um novo coração.

1.3 Sintomas mais comuns do complexo de superioridade.

Zombador, trata com falta de respeito, sem consideração (indgnação); soberba (se considera superior aos demais). Provérbios 21.24.

Pode se fazer de bom, porém mostra sua verdadeira face quando é contrariado, como no exemplo citado de Nabucodonosor e Hananias, Misael e Azarias (Dn 1.20; 3.15). A aparente bondade é a máscara que esconde o desejo de ser melhor para que não seja inferior. Ele mudou o semblante e se encheu de furor contra eles!

Ele projeta esses sentimentos que tem dentro de si de inferioridade nas pessoas que estão a sua volta.  Para ele, todas as outras pessoas são inferiores a ele.

São vaidosos e extravagantes, sentimentalistas;

Afastamento social e isolamento, como tentativa de fugir da realidade que tanto tem medo;

Por outro lado, podem ser bons comunicadores, persuasivos e com argumentos aparentemente sólidos;

Desacreditam e questionam  a opinião dos outros tentando impor a sua opinião, pois tentam dominar aqueles que considera como mais fracos e menos importantes.

2.       Um  mau exemplo.

2.1 A ânsia pelo poder

Na tentativa de demonstrar que era poderoso, ele construi um lugar de adoração a Baal (1 Rs 16. 31-32). Esse comportamento de Acabe demonstra como uma pessoa com esse complexo pode sim, não considerar, respeitar e temer principalmente a Deus. Acabe conhecia ao Senhor, entretanto, ele preferiu seguir seu próprio coração, e a vontade de sua mulher Jezabel (1 Rs 16.29, 31-32).

Quando vemos no meio da igreja do Senhor pessoas que não levam a  Palavra de Deus em consideração, e não glorificam a Deus com suas atitudes e obras, porém a si mesmas, manifestam terem presentes dentro de si tal complexo de superioridade. O Senhor não aprova tal comportamento, e não podemos esquecer que seremos recompensados pela intenção de nossos corações perante o Senhor (2 Co 5.10; 1 Co 3.11-12 ouro, prata e pedras preciosas- São as coisas que fazemos que glorificam  a Deus, que são ungidas pelo Espírito Santo, como nas palavras do apóstolo Paulo quando se despedia dos anciãos de Éfeso, é servir ao Senhor com toda humildade e com lágrimas e tentações que, pelas ciladas dos judeus me sobrevieram (Atos 20.19), tendo  a consciência de que temos esse tesouro em vasos de barro para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós. (2 Co 4.7).
Madeira, feno e palha são, na verdade, as realizações meramente humanas, secas como o feno e que são facilmente levadas pelo vento como a palha, que tem apenas a intenção de glorificar e enaltecer o homem e não a Deus.

2.3 Um forte desejo de se sentir superior

Vemos que a cobiça, está presente no complexo de superioridade. A vinha de Nabote estava localizada próxima ao palácio real  (1 Rs 21.1-29), e aparentemente por capricho, Acabe desejava transformá-la em Jardim.
Nabote tinha todo o direito de recusar vender a vinha. Se ele tivesse vendido a vinha teria traído a tradição e a consciência (Lv 25.23-28; Nm 36.7) Acabe reconhecia isso, no entanto se deixou  levar pela cobiça, seguindo o ímpio conselho de Jezabel. Com a eliminação de Nabote, Acabe tomou posse do jardim .

3.       Um velho conhecido da Igreja

Satanás  ao levar o  homem a pecar , demonstrou um sentimento de inveja pela posição que o ser humano ocupava.  Para fazer o homem pecar, ele fez isso ofertando ao homem  a independência de Deus, ou seja, de viver independente dele. Ofertou com sua principal arma, que é a mentira: Sereis como Deus (Gn 3.5).
Por isso as pessoas que têm esse comportamento se tornam alvos fáceis de Satanás, querendo se rebelar contra Deus e atraindo adoração para si mesma.  O obreiro não pode ser neófito, ou seja, novo na fé, mas amadurecido em Cristo (1 Timóteo 3.6) , para não se ensoberbecer e cair na condenação do diabo.

CONCLUSÃO


Que sigamos o conselho e ensinamento do Senhor e sejamos como crianças. As crianças não tinham status de importância naqueles dias, eram dependentes e puras de coração. Que tenhamos esses sentimentos pois a elas pertencem o reino de Deus. Que um verdadeiro encontro com Cristo nos livre de todo tipo de Complexo, seja de superioridade como de Inferioridade.

2 comentários:

  1. Sou psicologa e gostei muito este comentario! Muit

    ResponderExcluir
  2. Eu vivo com uma pessoa assim. Finalmente eu pude entendê-la. Agora é mais fácil sentir compaixão. Sei que pessoas assim não mudam. Mas podemos aprender a lidar com elas.

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...